Home / Pessoas / Felipe Vilela Ramalho
Retrato deFelipe Vilela Ramalho

Felipe Vilela Ramalho

Associado

Contacto
Rua Gomes de Carvalho, 1507
4º andar
Vila Olímpia, São Paulo - SP
04547-005, Brasil
Idiomas Português, Inglês

Felipe Ramalho é um advogado da prática de  Contencioso Cível do FAS Advogados. Atua no desenvolvimento de teses e estratégias para clientes das mais diversas áreas, tais como instituições financeiras, telecomunicações, imobiliário, serviços médicos, publicidade, direito de família e sucessões, entre outras. 

Mais Menos

Experiência relevante

  • Professor Assistente voluntário na PUC-SP, do Prof. William Santos Ferreira, na matéria de Direito Processual Civil
Mais Menos

Filiações e Funções

  • Pesquisador e integrante de Grupo de Pesquisa em Processo Civil Tradições, Transformações e Perspectivas Avançadas (TTPA)
Mais Menos

Habilitações Académicas

  • 2016 – Graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • 2019 - Pós-graduação em Direito Processual Civil na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo 
  • 2023 – Curso de Extensão na FGV Law (SP) – Fintechs, Criptoativos e Ativos Virtuais
Mais Menos

Feed

07/03/2024
STJ define regras para instituições financeiras em caso de roubo ou furto...
Confira o posicionamento recente do Superior Tribunal de Justiça sobre res­pon­sa­bi­li­za­ção de instituições financeiras em casos de transferência bancária decorrente de roubo ou furto de celulares, e as cautelas que as instituições devem adotar nesses casos.
17/11/2023
Da pres­cin­di­bi­li­dade de prestar caução para despejo liminar
Considerando que o locatário tem a oportunidade de purgar a mora ou mesmo comprovar o adimplemento de suas obrigações, o deferimento da liminar de despejo sem a caução se mostra uma solução equilibrada...
16/11/2023
A polêmica em torno da caução no despejo liminar
Desafios na Aplicação da Lei de Locações: Equilibrando Direitos e Deveres de Locadores e Locatários no Contexto do Despejo Liminar.  
22/09/2023
Su­pe­ren­di­vi­da­mento do consumidor e a necessidade de interpretação razoável...
A Lei 14.181/2021 trouxe importantes mudanças no Código de Defesa do Consumidor, para prevenir o su­pe­ren­di­vi­da­mento de pessoas físicas. No entanto, essa alteração legislativa gerou debates sobre o equilíbrio necessário entre proteger os consumidores e não sobrecarregar des­pro­por­ci­o­nal­mente os fornecedores de crédito e serviços.